fbpx

Rito ao Deus – O Rei das Matas 2020

Rito ao Deus – O Rei das Matas 2020

setembro 21, 2020 Ayahuasca 0

Ritual de consagração com Ayahuasca
Realização e Organização: Rodrigo Zeus
Local do Evento: Instituto Espiritual Segredo Encantado
Rua Corredeira 205, Bosque da Saúde – São Paulo – SP

Saudando os poderes ancestrais do masculino sagrado em mim, em ti e em nós. Saudando ao Deus em todos seus poderes, faces e nomes, convidamos todos a se conectar e agradecer ao grande pai Divino, celebrando todo poder nutridor, criador e protetor da Criação.

Em conexão com todo poder vegetal, saudando ao reino encantado dos elementais e ao senhor dos bosques, dos animais, da abundância, prosperidade e alegria, entregando as dúvidas, aflições e processos a Cernunnos.

Vivenciando com ele o quanto a simplicidade traz em si a solução, que não é necessário ser ranzinza para ser sério. Cernunnos nos ensina o quanto a dança e a alegria dos faunos trazem a cura com suas músicas, o entendimento de que a sua felicidade é maior e mais importante que todas as coisas pequenas, entender que o aqui e agora é o tempo ideal e se sua única opção é ser feliz, então que seja feliz.
Se entregar aos ciclos de morte e renascimento da vida e reconhecer que tudo tem seu tempo é se integrar a Natureza da forma mais pura, compreender que a morte de uma situação de sua vida, uma parte de sua personalidade que já não deve continuar mais ali ou a partida de alguma pessoa querida são só mais um passo na sua grande jornada.

O Deus e a Deusa são duas energias que agem auxiliando, complementando, uma a outra. Eles simplesmente existem por si só, fazem parte da criação do Universo, e o Universo é a união perfeita dos dois.

A Grande Mãe e o Deus Cornífero representam juntos as forças vitais do Universo

Para saber mais sobre a mitologia clique aqui!

Quando?

Sábado, 26/09/2020 das 12h às 20h
Domingo, 27/09/2020 das 12h às 20h

Atenção! Estamos modificando a abertura dos portões da casa para 12h para maior comodidade de todos.

Local: Rua Corredeira, 205 – Bosque da Saúde, São Paulo – SP – Estamos localizados próximos aos metrôs Santa Cruz e Santos-Imigrantes.

Para garantir a segurança de todos, o espaço em que será realizado os ritos é um jardim com um espaço aberto de aproximadamente 300m² com lugar demarcado para todos os participantes, dispomos de cadeira, colchonete, saquinhos e medicina para os ritos, temos salões amplos e arejados disponíveis para nos abrigarmos em caso de chuva.

Não haverá aplicação de rapé entre os participantes, apenas autoaplicação é permitida, o foco é o equilíbrio e o estado meditativo contemplativo com a medicina da Ayahuasca, respeitando o distanciamento e a segurança de todos.

REGRAS:

O uso de remédios deve ser comunicado por e-mail a nós e caso seja necessário orientaremos como proceder.
– Não se deve ingerir carne vermelha, bebidas alcoólicas, qualquer outro tipo de droga e deve-se evitar relação sexual antes do ritual, de preferência 2 dias antes.
– Já estamos aberto a todos (Ao se inscrever informar a data da última consagração e o nome da casa que o acolheu ou nos avise se é sua primeira vez).

>> Para conferir todas as regras dos ritos clique aqui! <<

Contribuição:

R$ 90,00

Horários de entrada nos rituais:
– Abertura dos portões às 12h, podendo chegar até 12:30.

Essa contribuição nos auxilia a manter esse trabalho, se não conhece, por amor, não julgue

Para melhor nos organizarmos estamos realizando as inscrições dos eventos exclusivamente via Depósito Bancário ou transferência, segue as informações:

Banco Itaú
Ag 6384 c/c 14524-6
CPF: 449.841.778-02
Rodrigo Haddad de Oliveira

Para confirmar sua presença, pedimos que nos envie o comprovante, as datas desejadas e os nomes dos participantes para o e-mail:

rito@segredoencantado.com.br

Pedimos que informem a data do rito que irá participar no assunto! Informar a data da última consagração e o nome da casa que o acolheu ou nos avise se é sua primeira vez.
ATENÇÃO: solicitação de devolução somente até 48hs antes do evento. Após, não devolvemos o valor pois custos já foram gerados e pessoas mobilizadas.

Quem pode participar?

Todos que não estão apresentando sintomas de febre e gripe (Faremos a medição da temperatura na entrada do evento, vigie seu corpo dias antes do rito e em caso manifestação de algum sintoma nos avise antecipadamente)
Se faz uso de remédios controlados, antes de se inscrever no comunique por e-mail para receber orientações.

>> Para conferir todas as regras dos ritos clique aqui! <<

O que trazer para o ritual?

RG ou CNH, mesmo que não seja a sua 1ª vez na casa.
Itens pessoais: Caderno, seus instrumentos de poder e maracás são bem vindos. Dispomos de colchonetes e cadeiras.
Obrigatório para uso pessoal (Não esquecer):
– 1 ou 2 Garrafas de água
– 1 Rolo de papel higiênico
– 1 álcool gél
– 1 Toalha
– 1 chinelo/sandália ou crocs
– 2 máscaras descartáveis ou de tecido
– Roupa de frio
– Cobertor e travesseiro (O espaço não fornecerá)
– Alimento salgado de sua escolha para comer no final do rito (não compartilharemos, será para consumo pessoal)

Mitologia

Ele nasce da Deusa, como seu complemento e carrega os atributos da fertilidade, alegria, coragem e otimismo. Ele é a força do Sol e da mesma forma , nasce e morre todos os dias, ensinando aos homens os segredos da morte e da renascimento.

Segundo os Mitos pagãos o Deus nasceu da Deusa, cresceu e se apaixonou por Ela. Ao fazerem amor a Deusa engravida e quando chega o inverno o Deus Cornífero morre e renasce quando a Deusa dá a luz. Este Mito contém em si os próprios ciclos da natureza onde no Verão o Deus é tido como forte e vigoroso, no outono ele envelhece, morre no inverno e renasce novamente na primavera.

Para a maioria pode aparentar meio incestuoso, quando afirma-se que o Cornífero seja filho e consorte da Deusa, mas isto era extremamente comum aos povos primitivos onde os indivíduos se casavam entre os próprios familiares para conservar a pureza da raça. Além disso simbolismo do Mito deve ser observado, pois todas as coisas vieram do ventre da Grande Mãe inclusive o próprio Deus e por isso para Ela Ele deve voltar.

O culto

O culto aos Deus Cornífero surgiu entre os povos que dependiam da caça, por isso Ele sempre foi considerado o Deus dos animais e da fertilidade, e ornado com chifres, pois os chifres sempre representaram a fertilidade, vitalidade e a ligação com as energias do Cosmos. Além disso a Bruxaria surgiu entre os povos da Europa, onde os cervos se procriam com extremada abundância, por isso eram freqüentemente caçados, pois eram uma das principais fontes de alimentação. Com a crescimento do Cristianismo e com a intenção do Clero em derrubar Bruxaria, a figura atribuída ao Deus Cornífero acabou por personificar o Diabo e na atualidade resgatar o status deste importante Deus torna-se bastante difícil.

O Deus Cornífero representa a luz e a escuridão, a imortalidade e a morte, a interrupção a continuidade. Cernunnos, como também é chamado, simboliza a força da vida e da morte. É o amante e filho da Deusa, o senhor dos cães selvagens e dos animais. É ele que desperta-nos para a vida depois da morte. Representa o Sol, eternamente em busca da Lua. Seus chifres na realidade representam as meias-luas, a honraria e a vitalidade e não uma ligação com o Diabo. Ainda hoje existe muito confusão a cerca da Bruxaria e isto se deve a Igreja Medieval que transformou os Bruxos antigos em Feiticeiros do Demônio, por conveniência.

O culto à Deusa Mãe e aos Deus Cornífero é pré-cristão, surgiu milênios antes do catolicismo e do conceito de Demônio, o qual jamais foi adorado, invocado, cultuado e reverenciado nas práticas pagãs ou como deidade da Bruxaria.

Os chifres

A Arte Wiccaniana remonta os homens das cavernas e para entendermos o porque uma divindade com chifres foi reverenciada pelos Bruxos de antigamente e é reverenciada até hoje pelos Bruxos modernos temos que pensar como nossos antepassados.

Os chifres sempre foram tidos como símbolo de honra e respeito entre os povos do neolítico. Os chifres exprimem a força e a agressividade do touro, do cervo, do búfalo e de todos animais portadores dos mesmos. Entre os povos do período glacial uma divindade era representada com chifres para demonstrar claramente o poder da divindade que o possuía.

Quando o homem saia em busca de caça, ao retornar à sua tribo colocava os chifres do animal capturado sobre a sua cabeça, com a finalidade de demonstrar a todos da comunidade que ele vencera os obstáculos. Graças a ele todo clã seria nutrido, ele era o “Rei”. O capacete com chifres acabou por se tornar em uma coroa real estilizada.

Muitos Deuses antigos como Baco, Pã, Dionísio e Quíron foram representados com chifres. Até mesmo Moisés foi homenageado com chifres pelos seus seguidores, em sinal de respeito aos seus feitos e favores divinos.

Os chifres sempre foram representações da luz, sabedoria e conhecimento entre os povos antigos. Portanto como podemos perceber, os chifres desde tempos imemoráveis foram considerados símbolos de realeza, divindade, fartura e não símbolo do mal como muitos associaram e ainda associam-nos. O Deus Cornífero é então o mais alto símbolo de realeza, prosperidade, divindade, luz sabedoria e fartura. É o poder que fertiliza todas as coisas existentes na terra.

error: Content is protected !!